---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

governomunicipal
Esgotamento sanitário pauta autoridades com presença histórica da diretoria estadual da Casan

Publicado em 17/07/2019 às 11:11 - Atualizado em 17/07/2019 às 11:21

Alguns fatores ainda dependem para o funcionamento, coleta, tratamento e destinação correta dos dejetos humanos
Créditos: Deonir Dalpias (Paulo Dim) Baixar Imagem

Deonir Dalpias (Paulo Dim)

Prefeitos e secretários municipais de oito municípios, além de promotores de Justiça do Ministério Público (MP) e representantes da Aris (Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento) participaram de uma reunião histórica com a presença da diretoria estadual da Casan, ontem à noite, no Centro Administrativo de Descanso. O encontro foi pautado sobre o esgotamento sanitário, principalmente da regularização das fossas e da Estação de Tratamento de Dejetos Humanos.

A unidade, que está construída em linha Campinas, vai beneficiar 10,5 mil moradores de 3.972 edificações da área urbana dos municípios que assinaram o termo de cooperação. Alguns fatores ainda dependem para o funcionamento, coleta, tratamento e destinação correta dos dejetos humanos.

O prefeito Sadi Bonamigo classificou como importante mais um encontro, especialmente deste em que autoridades da Casan compareceram ao município. “O saneamento básico é indispensável para termos uma melhor saúde e qualidade de vida para nós, nossos filhos e netos. Com os esforços de todas as autoridades, será resolvido de uma vez por todas esse problema crônico. A nossa cidade estará em uma condição de ter 100% do saneamento básico, destacando-se entre as cidades do País. Essa é a nossa meta”.

Esse modelo alternativo em Descanso, por exemplo, é defendido por Maycon Robert Hammes, promotor de Justiça na área ambiental. Ele ressalta que os custos por edificações são mais baratos, cerca de R$ 15 por mês. “Em outros municípios, o sistema convencional chegava até custar duas vezes o valor da tarifa da água, em torno de R$ 90, R$ 100”.

Profissionais técnicos da Casan participaram da reunião para esclarecer dúvidas e fazer orientações de procedimentos. “A Casan vem realmente para ser parceira dos municípios e ajudar a colocar em prática esse novo case, que vai ser pioneiro no Brasil”, enfatizou a diretora-presidente estadual, Roberta Maas dos Anjos.

Fossas

Descanso já fez solicitação de verba para contribuir na regularização das fossas para aquelas famílias de baixa renda. Por se tratar de um projeto coletivo, a Casan, conforme Roberta, aguarda informações de outros municípios para tratar a questão.

Números apontam que muitas fossas tem seu destino despejado irregularmente na rede pluvial (drenagem urbana) ou nos recursos hídricos, o que pode gerar multas pela Vigilância Sanitária e até mesmo de outros órgãos competentes. “É preciso que os munícipes façam ou regularizem seus sistemas. Se não houver regularização vai chegar um momento que o Ministério Público vai requisitar à Polícia Militar para fazer autuações, mas não é isso que queremos, e sim implantar o saneamento”, enfatizou o promotor.

Hammes também acredita que o aumento do número de câncer na região seja possivelmente da água contaminada. “Temos uma necessidade premente de implementar o saneamento básico, na modalidade de esgotamento sanitário, porque nós estamos com as águas poluídas e estamos ingerindo essa poluição indiretamente”.

Presenças

Ainda participaram da reunião o vereador Edenilson Slaviero e o promotor de Justiça da Comarca de Descanso, Felipe Brügmann.

Municípios a serem beneficiados com a Estação de Tratamento

Descanso

Tunapólis

Santa Helena

Belmonte

Paraíso

Bandeirante

Barra Bonita

Parte de São Miguel do Oeste


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar