---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

governomunicipal
Tornado: Governo Municipal solicita ajuda ao Governo do Estado

Publicado em 30/06/2020 às 19:25 - Atualizado em 30/06/2020 às 19:25

Ofício foi encaminhado ao Governo do Estado na sexta-feira, 26 de junho
Créditos: Sandra Ghidini Baixar Imagem

O Governo Municipal de Descanso encaminhou nessa sexta-feira, 26 de junho, um ofício ao governador, Carlos Moisés, solicitando apoio financeiro para a reconstrução de instalações públicas e privadas, atingidas pelo tornado que ocorreu no dia 10 de junho.

No documento, é solicitada a criação de programas específicos aos atingidos, como financiamento a juro zero, com subsidio do Governo do Estado, para pagamente em oito anos, sendo dois anos de carência.

Conforme o prefeito Sadi Bonamigo, com o ofício o Governo Municipal espera que o governador libere recursos ou programas para auxiliar as famílias prejudicadas. “O governador esteve no município e viu de perto o estrago que ocorreu. Muitas famílias foram atingidas e muitos imóveis foram destruídos, seja na cidade ou no interior e precisamos da colaboração do Governo do Estado para que a situação e sofrimento dessas famílias sejam amenizados”, comenta.

 

Danos financeiros

Conforme o levantamento realizado pela Defesa Civil Municipal, o tornado que durou aproximadamente 15 minutos, seguido de chuvas intensas e fortes ventos de 130 km/h, atingiu diversas moradias, estabelecimentos comerciais, propriedades rurais, pontes, prédios públicos, rede de distribuição de energia elétrica e no abastecimento de água potável, somando mais de seis milhões de reais em danos financeiros.

Foram identificadas e cadastradas 325 unidades habitacionais que sofreram danos de baixa, média e alta monta, afetando diretamente 968 pessoas. Dessas casas, seis foram totalmente destruídas. Os danos financeiros causados totalizam o montante de R$ 685 mil.

No interior do município houve danos em 42 casas e 29 edificações (galpões, salas de ordenha, chiqueiros, aviários, entre outros), além de danos elevados em equipamentos, máquinas, produção agrícola, pecuária e perda de insumos e sementes que estavam em estoque. Conforme o levantamento realizado pela Defesa Civil Municipal em conjunto com a Epagri, as perdas são superiores a R$ 2.500.000,00.

Já os danos causados em 24 empresas do município somam prejuízos de mais de R$ 1 milhão, entre Micro Empreededores Individuais, Micro Empresas e Empresas de Pequeno Porte.

Além disso, foram identificados danos em sete prédios públicos: Ginásio do Bairro Antônio Rech (totalmente destruído), CRAS, arquibancada do Estádio Municipal João Barreta, Escola Getúlio Vargas, Escola Paulo Henrique Pissaia, Prédio Administrativo e parque de máquinas. Sendo constatados também danos em equipamentos, iluminação pública, estrutura de câmeras de vídeo-monitoramento, Praça Padre Francisco Massure, Morro do Cristo, área coberta, pontes, pontilhões e em estradas rurais.  Os recursos necessários para a recuperação e reconstrução dos prédios, infraestrutura e equipamentos públicos do município somam aproximadamente R$ 2 milhões.

Segundo Bonamigo, o Governo Municipal tem trabalhado muito para atender as necessidades básicas das famílias. “Após a passagem do tornado, realizamos o atendimento imediato com distribuição de lonas às famílias, no da seguinte realizamos o levantamento de atingidos, posteriormente fizemos a distribuição do material da Defesa Civil Estadual e como a ajuda da comunidade e dezenas de voluntários auxiliamos na cobertura das casas. Organizamos também a central de recebimento de doações e realizamos, por meio da Secretaria de Assistência Social e entidade parceiras a entrega, de cestas básicas aos prejudicados e realizamos mutirões de limpeza para retirar o entulho dos bairros atingidos”, destaca.

Em conversa com deputados que representam a região, o Governo Municipal busca audiência com o governador Carlos Moisés. “Enviamos um ofício governador e buscamos essa audiência para garantir recursos a fim de, ajudar as famílias agricultores e reconstituição das casas, empresas e prédios públicos, como é o caso do ginásio do Bairro Antônio Rech que foi totalmente destruído”, finaliza.